DataHora

quarta-feira, maio 13, 2015

Peixes e frutos do mar ganham embalagem inteligente


Uma equipe de pesquisadores da "Dublin City University" (DCU), Irlanda, acaba de desenvolver uma nova tecnologia, para embalagem de peixes e produtos do mar, que permite indicar as condições de seu conteúdo. A tecnologia utiliza um sensor que muda do amarelo para o vermelho em presença de componentes voláteis emitidos pela carne dos peixes ou frutos do mar em decomposição, responsável pelo cheiro característico de "peixe podre". A mudança de cor corresponde àquela de um corante sensível ao pH. A variação de cor é visível a olho nu. Entretanto, um leitor óptico foi igualmente desenvolvido para permitir melhor quantificar a mudança de cor. O sensor pode ser posicionado sobre uma etiqueta adesiva ou fixado no exterior do recipiente, com filamentos que penetram no seu interior.



Foto: O sensor indica se o peixe está fresco ou não. Na figura da direita é possível ver as colorações antes e depois do sensoriamento, para um produto que já se encontra em deterioração.

Créditos: National Centre for Sensor Research

O sensor foi desenvolvido em parceria com outros institutos de pesquisa irlandeses: o Marine Institute, Teagasc, e o Irish Fisheries. A cadeia de supermercados Superquinn foi solicitada para a validação do conceito. Os pesquisadores patentearam sua invenção e buscam, agora, um parceiro comercial. Os trabalhos foram financiados no âmbito do programa "Adaptive Information Cluster", da SFI ("Science Foundation Ireland") para desenvolver e comercializar sensores inteligentes.


Fonte: Unicamp


Nenhum comentário:

Postar um comentário